Castelo de Buda

Castelo de Buda

O ponto de referência mais proeminente da antiga cidade de Buda, atualmente parte de Budapeste, é o Castelo de Buda, por vezes referido como o Castelo Real.

Os 10 melhores hotéis em Budapeste

O Castelo de Buda, chamado Budai Vár em húngaro, é a estrutura central da Colina do Castelo de Budapeste e, tal como o Castelo de Praga, é na realidade todo um complexo de palácios e uma cidade medieval com vários outros monumentos importantes, liderados pelo Bastião dos Pescadores e pela Catedral de Matias.

Do Castelo de Buda pode ver-se a margem oposta, onde se ergue o Parlamento.

O Palácio Real, símbolo do Estado húngaro

A história do castelo remonta ao século XIII, quando a sua construção foi iniciada pelo rei Béla IV da Hungria e, sob o reinado de Sigismundo do Luxemburgo, foi significativamente ampliado, ao ponto de se tornar um dos maiores edifícios góticos do mundo na altura. Após a Batalha de Mohács, em 1526, uma parte do reino húngaro caiu nas mãos do Império Otomano e os Jagiellonianos mudaram-se para a segura Prešpurk, a atual Bratislava, e em 1686 o castelo foi quase completamente destruído.

O Castelo de Buda também não viveu bons momentos nos séculos seguintes, quando foi alternadamente reconstruído e destruído. A idade de ouro só chegou em meados do século XIX, quando o castelo foi completamente restaurado em estilo barroco-renascentista e, em 1867, desempenhou um papel importante na coroação de Francisco José I como Rei da Hungria, que se tornou um símbolo de paz entre a dinastia dos Habsburgos e a nação húngara.

O castelo conheceu a sua maior glória na viragem do século XIX, quando foi ampliado para proporções enormes e monumentais e, em 1912, foi construída uma cúpula alta, que se ergue sobre todos os edifícios circundantes. No entanto, no final da Segunda Guerra Mundial, todo o complexo do castelo foi quase completamente destruído por bombardeamentos.

Só em 1968 é que foi reconstruído, numa forma muito reduzida, devido a poupanças financeiras, e é daí que vem o aspeto atual do Castelo de Buda. A área foi inscrita na lista da UNESCO em 1978, e há uma série de pontos turísticos aqui.

Taxas de entrada e horário de funcionamento

A entrada nos terrenos e em todos os pátios do Castelo de Budapeste é gratuita e sem limite de tempo.

Existem vários museus ou galerias nos diferentes edifícios do palácio, pelo que pode sempre entrar individualmente se estiver interessado numa das exposições. Pode visitar as seguintes instituições no Castelo de Buda:

A velha Buda medieval

O Castelo de Buda está diretamente ligado à parte mais antiga da Budapeste contemporânea e ao romântico centro histórico da antiga Buda (Buda), com as suas ruas estreitas e belos recantos.

O traçado da Velha Buda remonta originalmente ao século XIII, mas depois de um considerável saque pelos turcos e dos danos causados durante a Segunda Guerra Mundial, o seu aspeto atual é sobretudo obra de um lento restauro durante o século XX. No entanto, a reconstrução da Velha Buda foi realizada com muita sensibilidade e manteve o seu carácter medieval original.

Localização e transportes

É possível subir ao castelo a pé através do parque, apanhar um autocarro ou utilizar o histórico teleférico terrestre - Budavári Sikló. A estação de embarque encontra-se no portão do túnel sob o castelo, perto da Ponte das Correntes.

Se não quiser caminhar ou usar o teleférico, também pode apanhar um autocarro diretamente para o castelo:

  • Paragem de autocarro Dísz tér - autocarros 16, 16A, 116
  • Paragem de autocarro Palota út - autocarro 16

Alojamento em Buda Velha

Se quiser ficar no coração do centro histórico de Budapeste, a área em redor do Castelo de Buda é a escolha certa. No entanto, pode contar com preços de alojamento ligeiramente mais elevados do que no centro de Peste, o atual centro da cidade do outro lado do rio. Veja os hotéis mais populares na zona do Castelo de Buda:

O que ver em redor

Descubra todos os sítios a visitar em Budapeste.

Este artigo pode conter ligações de afiliados a partir das quais a nossa equipa editorial pode receber comissões se clicar na ligação. Consulte a nossa página Política de publicidade.